A ruptura com o PCP em 1964-1965 (2)

Francisco Martins Rodrigues

A ruptura com o PCP em 1964-1965 (2)

A saída do capitalismo só pode ser encontrada pelo proletariado

A crítica de 1964 pôs o dedo na ferida do reformismo que submetia o proletariado à burguesia liberal, em nome das exigências do antifascismo. Faltou-lhe muito, porém, para ser uma plataforma comunista coerente e essa falta esteve na origem dos problemas que levaram o movimento nascente dos marxistas-leninistas a desagregar-se, duas décadas mais tarde. Continuar a ler

O corte com o PCP

Francisco Martins Rodrigues

O CORTE COM O PCP [1]

1 – A apreciação do PC(R) sobre os grupos ML só ressaltou os seus aspectos negativos. Para abater os laços grupistas, as barreiras de desconfiança entre os membros dos diferentes grupos e e autori­dade dos seus chefes, apresentou-se esse período como uma aberra­ção pequeno-burguesa. O partido não precisa de denegrir os grupos para se elevar.

Continuar a ler

Proposta de Manifesto – 1984 (5) O triunfo da pequena burguesia

Francisco Martins Rodrigues

O triunfo da pequena burguesia

O traço característico do último meio-século é pois a apropria­ção do marxismo-leninismo pela nova burguesia e pequena burguesia de “esquerda”, que o transformou numa arma suplementar de acorrentamento do proletariado. O reformismo completou a obra do terror. Continuar a ler

Proposta de Manifesto – 1984 (2) A lição de Abril

Francisco Martins Rodrigues

Reaccionários, liberais e socialistas não se cansam de culpar o “gonçalvismo” e a “indisciplina social” pelo descalabro a que che­gámos. Responde o PCP com hinos às conquistas de Abril e lamentações sobre a falta de unidade dos democratas e o radicalismo esquerdizante, que teriam deitado a perder a “revolução”. Continuar a ler