Cartas a JV – 7

Francisco Martins Rodrigues

Carta a JV – 7

9/12/1992

Caro Amigo:

Registámos a renovação da assinatura e agradecemos também os textos que mandaste junto. Calculo que as minhas reflexões sobre a revolução russa não te convençam nada mas as leituras que vou fazendo mais me confirmam na ideia de que as críticas anarquistas e «comunistas de esquerda» falham ao atribuir ao leninismo os males que resultavam da agonia da própria revolução, agonia inevitável devido aos seus limites económico-sociais. Lenine, sem dúvida, enganava-se quando defendia que aquele regime de capitalismo de Estado sob controlo burocrático ainda era ditadura do proletariado e ainda tinha virtualidades para se reabilitar. Mas não vejo como o reconhecimento desse erro, que aliás retrata o bloqueamento irremediável a que chegara a revolução, nos tenha que levar a pôr em causa as aquisições históricas do leninismo. Quando leio os seus críticos «de esquerda», como Korsch ou Luxemburgo, Ciliga, etc., não posso deixar de sentir um tremendo recuo em relação à clareza de classe atingida pelo leninismo.

Enfim, se tiveres paciência, lerás nas próximas revistas a continuação do meu folhetim. Compreendo que não te sintas motivado para continuar nas colunas da P.O. uma polémica que tende a tomar-se «conversa de surdos». Quando achares que é altura de expores as tuas críticas, estamos abertos a publicá-las. O que não impediria, em minha opinião, uma colaboração tua desde já, em questões de política actual em que estamos largamente de acordo, parece-me. Umas «Cartas da CEE», em que nos desses conta das tuas reflexões sobre o clima político francês, seriam do maior interesse para nós. Se achares que sim e tiveres disponibilidade de tempo para isso, teremos muita satisfação em publicar o que envies. Como verás pelo nº 37, que receberás dentro de dias, temos alguns novos colaboradores e esperamos passar a ter mais alguns. Tentamos manter-nos nas 32 páginas e diversificar a informação e os comentários.

Espero que a vossa vida por aí esteja bem. Abraços para ti e para a S. de todos nós, em especial da Ana e da Beatriz. Meus também, claro.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s